Confiança numa vida melhor?

 

Luís Nunes dos Santos

Bisturi Cronista


 O direito à educação é um bem precioso, a sua universalidade a toda a sociedade foi um dos maiores avanços civilizacionais e hoje todos podemos aceder livremente a uma vasta oferta educativa, portanto todos os nossos jovens têm a oportunidade de desenvolver capacidades inatas, adquirindo competências e conhecimentos.

Todos estamos de acordo que a educação e as condições na educação são fundamentais para o nosso futuro, o investimento na educação em Portugal é um investimento no futuro dos portugueses e do nosso país, no entanto para o executivo da Câmara Municipal de Évora esse investimento parece não ser prioritário.

Hoje, a Escola Secundária André de Gouveia, encontra-se totalmente degradada e sem condições para a prática do ensino: os alunos, professores e auxiliares de educação deparam-se dia a dia com as canalizações e as instalações elétricas em péssimo estado, o pavilhão desportivo a cair aos bocados com claro perigo para quem lá pratica desporto, as aulas são dadas ao sabor dos elementos, uma vez que chove dentro da escola, o frio é insuportável de inverno e o calor é sufocante no verão, é urgente uma intervenção rápida nesta escola histórica do concelho. A câmara liderada pela CDU tem que ter uma palavra a dizer!

É inqualificável a forma como esta câmara trata este assunto, porque apesar de não ser função do município, o executivo desperdiça um conjunto de mecanismos que poderiam assegurar a requalificação da André de Gouveia.

O PO Alentejo 2020 (Programa Operacional Regional do Alentejo) pretende investir no crescimento e emprego na região do Alentejo em Portugal com o apoio do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e do Fundo Social Europeu. Neste programa, existe 85% do financiamento para as obras da escola, o estado português avança com 7,5% de contrapartida, o que perfaz um total de financiamento obtido de 92,5%, falta o município assegurar os restantes 7,5%, coisa que se recusa a fazer demonstrando desta forma o desrespeito pela escola pública, pelas pessoas que trabalham diariamente para assegurar o normal funcionamento da escola e sobretudo pelos jovens que lá têm que estudar.

Mas tudo é uma questão de escolha e a câmara prefere ficar com a gestão do estádio municipal que vai custar à volta de 150 mil euros por ano, gestão essa que o CRE e a associação de atletismo querem fazer. O custo dos 7,5% para a requalificação da escola secundária André de Gouveia cifra-se em 177 mil euros, porém, a Câmara Municipal de Évora pretende investir anualmente 150 mil euros no estádio municipal quando existem outras entidades que pretendem assumir essa responsabilidade.

A câmara tem dinheiro para investir na escola, mas por escolha do executivo da CDU prefere meter-se onde não deve, atrapalhando os agentes desportivos, ao invés de investir na requalificação de uma escola com quase 1000 alunos, perdendo assim 92,5% do PO Alentejo 2020 e ignorando a última oportunidade para garantir uma escola que permita condições de ensino.

Estes jovens não merecem esta injustiça uma vez que é a única escola secundária do concelho que não foi renovada, é função da autarquia defender os jovens que querem estudar na André de Gouveia no sentido de garantir que estes alunos tenham as mesmas oportunidades à partida dos outros alunos. Um aluno que é ensinado com frio extremo e no final do ano faz exames com 45 grau numa sala, parte em total desvantagem, onde está a justiça social?

O programa autárquico da CDU em 2013  continha esta visão para a educação: “Uma  Educação  Pública  universal,  isenta,  gratuita  e  de  qualidade  é  um  pilar  da  democracia  e  uma  alavanca  para  o  progresso e desenvolvimento de uma sociedade com maior justiça social. Consider  essencial  defender  e  qualificar  o  sistema  público  de  ensino  que  garanta  o  acesso  a  todos,  que  seja  instrumento de democratização e cidadania cativa, que fomente o progresso e o desenvolvimento” caso para dizer, bem prega Frei Tomás, faz o que ele “escreve” mas não o que faz!

Esta câmara da CDU está cheia de grandes chavões nos cartazes de rua como: “projeto e confiança” ou “confiança numa vida melhor”, mas só são chavões no papel, porque na prática é uma câmara sem dinâmica, sem ideias, sem projetos para o futuro do concelho e que ainda por cima desqualifica assim os seus jovens estudantes rebaixando a escola pública à degradação por sua escolha, mostrando que não merece confiança nenhuma dos eleitores do concelho de Évora.