Malásia para “backpackers”! | Insiders Of The World

Adriana Correia

Bisturi Cronista


Cheguei à Malásia através do comboio internacional nocturno que liga Banguecoque a Butterworth. Foram mais de meia dúzia de horas num comboio super confortável que me permitiu dormir melhor do que em muitos locais durante a minha viagem. Dizem para marcares com alguma antecedência esta viagem mas eu não tive problema nenhum em comprá-la no próprio dia de manhã.

A Malásia assemelha-se muito ao budget que se tem para viajar na Indonésia enquanto backpacker. No fundo, este país é composto por outros dois – a área peninsular mais rica e mais desenvolvida e o Bornéu da Malásia.

O Bornéu está consideravelmente menos desenvolvido, mas as dificuldades de andares pela ilha por ti é mais complicado visto que mesmo que a comida e o alojamento sejam mais baratos, para explorares a natureza vais precisar de te juntar a uma visita guiada ou algo parecido. Eu não fui desta vez ao Bornéu mas está na minha lista!

 

Transportes na Malásia

De autocarro: uma das melhores maneiras de viajares de mochila às costas na Malásia é de autocarro. Têm excelentes condições e têm geralmente traduções em inglês.

De comboio: eu não usei o serviço de comboio de longa distância enquanto estive lá mas diria que é perfeito para aqueles que estão com pouco tempo. É mais caro mas não deixa de ser uma boa opção para quem não gosta tanto de viajar de autocarro.

Através de voos domésticos: aqui está outra opção que não explorei devido ao meu orçamento mas facilmente se conseguem voos domésticos na Ásia através da Malaysia Airlines ou Air Asia.

De táxi: UBER, meus amigos

Agora sobre o meu percurso começando em Butterworth:

Penang

Esta é uma pequena ilha na Malásia que vale a pena ser visitada a partir de Georgetown, pela praia e pelas vilas piscatórias bem como pela sua história colonial inglesa cuja influência ainda se reflecte nos mercados.

Ipoh

Casa de várias estátuas, caves, hot-springs e muita arte em todo o lado, esta é a cidade em que deves passar um ou dois dias para explorares tudo da melhor forma. Para além disso, tens imensas actividades outdoor à escolha.

Taman Negara National Park

Tens de apanhar um autocarro para visitares este parque e pode ser um pouco complicado perceberes qual. Depois de ter deixado escapar este parque, falaram-me super bem dos seus lagos, cascatas e da sua ponte suspensa de 500 metros de comprimento.

Kuala Lumpur

Super moderna, cheia de centros comerciais fantásticos, uma vida nocturna soberba, e casa das Petronas Twin Towers, duas das maiores torres no mundo, que não podes deixar escapar!  Não é a cidade mais barata tendo em conta todas as outras mas por um dia ou dois o teu orçamento pode não sofrer muito!

Melaka

Quem nunca ouviu falar da influência portuguesa por estas bandas? Só por este nosso passado vale a pena visitar todos os cantinhos possíveis. Acreditas que há ainda um bairro onde todas as famílias com antepassados portugueses ainda convivem?

 

Preços gerais:

Comboio de Butterworth (Penang) para Kuala Lumpur (3h30) – 59 RM
Refeição num restaurante baratinho  – 8 RM
Cerveja num restaurante ou num bar – 10 RM
Cama num dormitório em Kuala Lumpur – a partir de 35 RM
Cama num dormitório na Malásia – a partir de 20 RM
Quarto privado duplo em Georgetown, Penang – a partir de 50 RM

Malta que gosta de usar o couchsurfing, aproveitem aqui na Malásia que resultou bem comigo! 🙂

 

Passar a fronteira da Malásia para Singapura: existem autocarros frequentes de Johor Bahru para Queen Street Station em Singapura.

 

Singapura para backpackers

Singapura é um contraste do Sudeste Asiático em todos os seus sentidos. As leis aqui são super restritas, nomeadamente comer e beber nos transportes públicos ou mastigar uma pastilha elástica é ilegal!

Não é barato viajar em Singapura portanto garante que tens orçamento para estares confortável. Daqui podes quer apanhar o avião de regresso a casa uma vez que é um dos hubs mais importantes da Ásia ou, por outro lado, podes seguir viagem para a Indonésia via barco ou avião.