Os Pastilha-elástica!

No dicionário dos “pastilha-elástica” palavras como demagogia, austeridade, interesses, corrupção, cidadania, entre outras, estão sempre presentes.
Após assistir aos debates entre os candidatos às presidenciais apercebi-me como a vida política actual está inundada por esta espécie.
Mudam-se os rostos, as cores e filiações partidárias, mas na realidade aquilo que muda é apenas o corante que cada um dos pastilha elástica transporta podendo inclusive ser modificado conforme os interesses dos mesmos.
O sabor de todos eles é comum: amorfo e indiferenciado.
E é seguramente por isto que as eleições presidenciais são atípicas face à nossa história. Apenas um candidato a estas eleições possui um perfil presidenciável: Marcelo Rebelo de Sousa.
Mas os pastilha elástica não se resumem a estas eleições. Estão um pouco por todas as paredes da vitrine político-partidária. Facilmente identificamos os Iglesias desta vida, os Mortágua, os Sousa, os Martins…
Mas a espécie não se fica por aqui. A sua selecção natural continua nas fileiras.
Tem sido muito comum ler as fileiras, visto que hoje todos são comentadores, dos blogs às redes sociais e também nalguns jornais locais.
Afirmam ser necessário defender ideais ao invés de interesses.
Estaremos todos totalmente de acordo mas para isso é necessário acrescentar sabor com o tom dos valores.
E para praticar valores é necessário possuir os mesmos. Não basta fazer marketing aos valores quando não os reconhecemos a um centímetro de distância.
Mas e como isto dos valores brota com a árvore de cada vida, teremos apenas pastilhas elásticas gastas e amorfas.
Ainda bem que numa floresta uniforme, também nascem plantas selvagens.

Haja esperança em 2016 e no futuro!