Crónica no P3 do Jornal Público | Só tens um mês de vida. E agora?

Excerto:

“Não paramos para resolver os grandes problemas que fomos acumulando porque o nosso foco é estimulado para o acessório, não para o essencial. Não paramos, nem sequer, para dizer “amo-te” aos que são os verdadeiros pilares da nossa vida e, no fim, vão ser tudo o que queremos ter do nosso lado.”

http://p3.publico.pt/actualidade/sociedade/25608/so-tens-um-mes-de-vida-e-agora